quinta-feira, 21 de outubro de 2010

1º livro - UM OLHAR PARA CADA COISA

(Ano - 2000)

Alguns trechos:




 PRAGMATISMO
Tudo está feito
irremediavelmente feito
o que se pensou
o que ora viaja
a nave da luz
e o que risca o espaço
na asa das águias
além das montanhas
Abre tua cartilha
exercita a lição
e descansa na pedra
onde inclina o araçá
seus carinhos maduros
Tudo está feito
e de algum modo
estamos também


MARINHAS (Para Alberto Cunha Melo)
Eu tomo do mar
o austero do mar
o assim ser do mar
eterno e indômito
e nele m
e encravo
com minhas entranhas
e minhas vazantes
meu surto de jade
e enfim sou o mar
e só mar...mar...só


OS PEQUENOS POETAS DAS ÁGUAS
Aqui Riacho de Mel
corre apertado nas várzeas
lavando os pés das andacas
um leve salto acolá
sem despergar-se das pedras
para que nunca se perca
mas é o poeta sereno
dos bordões d`águas inteiras
que só o mar sabe cantar
destas canções de barqueiro
que os rios levam nas almas
louvando suas nascentes


UM OLHAR PARA CADA COISA
Toda manhã
olho as flores
com este olhar
de ver flores
com o dos anjos
o céu
com o dos mares
a praia
e o céu a praia e as flores
eu posso ver e entender
em qualquer ponto
da estrada


AS MÃOS DA VIDA (Para Elza Ferreira)
As mãos da vida chegaram
e nestas coisas mexeram
que lá no fundo do lago
o meu silêncio escondia
as mãos da vida trouxeram
o abençoado alvoroço
e os sentimentos sopraram
bem aqui dentro de mim
e o enroscar-se da morte
deixando o ninho da lama
veio girar nos peraus
da tona alegre da vida



O CARANGUEJO
Impressão bem lisonjeira
a que passa o caranguejo
de viver na lama preta
e ser limpo como um padre
e a maneira que ele tem
de ganhar roupa nova
engessando a nova capa
pra trocar de armadura
parecendo talentoso
elegante aristocrata
no pisar pontas de pata
qual vaidoso rei de França.







video


Nenhum comentário:

Postar um comentário